Brasil realiza 1º Fórum de Esporte e Lazer de Povos Indígenas

Cuiabá recebe até sábado (11) o 1º Fórum de Políticas Públicas para Esporte e Lazer dos Povos Indígenas. Durante toda a semana, índios de todo o país discutem programas e ações que valorizem o esporte e que integrem os povos tradicionais nas modalidades de alto rendimento.

Foto: Reprodução. Foto: Reprodução.

Nessa terça-feira (7), uma manifestação marcou a chegada dos cerca de 300 indígenas que participam do evento. Eles fizeram uma passeata no entorno da Universidade Federal de Mato Grosso contra a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 215, que transfere para o Congresso Nacional a prerrogativa de demarcar terras indígenas, função que é exercida pelo Poder Executivo.

Para a indígena Maria Eva Canoé, de Rondônia, não há como separar as discussões de esporte das outras demandas indígenas, como saúde, educação e território demarcado. O fórum vai servir para que haja uma política específica de esporte para essa população. “A finalidade do encontro é fazer com que nós, povos indígenas, possamos contribuir para uma política específica e diferenciada que atenda à demanda das populações indígenas nessa área de esporte e lazer. Para a valorização da nossa cultura, das nossas brincadeiras, e que esse programa de governo seja adequado à realidade dos povos indígenas do Brasil.”

A professora Beleni Saléte Grando, que coordena o evento, também ressaltou a importância da luta pelo território, antes de se pensar em direito ao esporte. “Qualquer pessoa primeiro precisa de um lugar. Então, o território e a possibilidade de vida coletiva nesse território é a primeira base para qualquer coisa. Simplesmente, tenho que primeiro garantir essa vida coletiva com qualidade.”

Organizado pelo Ministério dos Esportes e pela Universidade Federal de Mato Grosso, o Fórum reunirá representantes indígenas de todas as regiões brasileiras.

A demanda do esporte e lazer indígena já é pauta debatida no Ministério dos Esportes através de Programas Sociais em comunidades indígenas, ao apoio aos Jogos Nacionais e a realização do I Jogos Mundiais, entre outras ações. A UFMT por sua vez, vem realizando trabalhos e pesquisas em diferentes cursos de graduação e pós-graduação, envolvendo indígenas nas atividades acadêmicas, sendo a pauta esportiva um dos temas que estão envolvendo a comunidade acadêmica. Mantém também um programa de inclusão de estudantes indígenas, o Proind, que também é parceiro na organização do evento.

A iniciativa começou a ser pensada em 2013 e teve a sua primeira ação nos dias 30 e 31 de janeiro de 2015 em Brasília, com a realização do Encontro de Mediadores que em Brasília, que recebeu 37 indígenas divididos em lideres e intelectuais indígenas, convocados para debater o tema e receber as orientações para mobilizar e inscrever 190 indígenas das diversas etnias brasileiras, vindos dos 26 estados e do DF para realização do Fórum.

Nesta quarta-feira (8), aniversário de Cuiabá, os participantes discutem a relação entre esporte, lazer e desenvolvimento sustentável nas comunidades indígenas.

Confira esta notícia em http://www.vermelho.org.br/noticia/261828-10

Destaque
Publicações Recentes
  • Facebook App Icon
  • facebook-square